5 motivos para não investir no dropshipping nacional

Descrever o e-commerce brasileiro como imenso é pouco: com dezenas de oportunidades diferentes para empreendedores dos perfis mais variados, o setor foi responsável por um faturamento de quase 48 bilhões de reais em 2017. De lá para cá, o e-commerce tupiniquim vem ganhando cada vez mais autonomia – e desenvolvendo parcerias importantes com marcas e países de peso.

Mas descobrir o que fazer para ganhar dinheiro pode ser um pouco difícil; e, mesmo que você já tenha decidido que quer gerenciar uma loja, nem sempre é fácil encontrar o nicho certo, o produto ideal e o público-alvo para esse produto ou serviço.

O pior é que, muitas vezes, até mesmo os empreendedores que já sabem o que vender (e para quem vender) podem acabar saindo no prejuízo. Na verdade, cerca de 80% dos e-commerces costumam declarar falência antes de completarem dois anos de funcionamento.

Sim, o número é assustador – e, infelizmente, não é tão difícil assim detectar os motivos que levam a tamanho fracasso.

O primeiro deles é o modelo tradicional de vendas que rege a maioria dos e-commerces: o lojista precisa investir uma boa quantia logo de cara para comprar uma quantidade alta do produto que deseja vender; além disso, ele também precisa investir em um espaço de armazenamento para guardar esse recém-criado estoque; e, além dos custos com estratégias de marketing e o envio de produtos, há sempre a ameaça de que o produto escolhido simplesmente não venda tão bem assim.

O resultado? Um lojista sem dinheiro, sem lucro e com um produto encalhado. Há, no entanto, uma alternativa empresarial que pode evitar o cenário acima: o dropshipping.

Mas… O que é dropshipping?

O dropshipping é um modelo de negócios que elimina a necessidade de estoques. Isso significa que o lojista só precisa criar uma loja virtual – e encontrar fornecedores de dropshipping no Brasil (ou em outros países) que comercializem o produto que ele está querendo vender.

O lojista, então, passa a anunciar o produto em questão na sua loja virtual, praticando um valor determinado por ele próprio. Vale destacar que o lojista só precisa comprar o item depois que o cliente realizar a compra.

Quando o cliente enfim realizar o pedido, o único trabalho do lojista é redirecionar a encomenda para os seus fornecedores de dropshipping nacional ou internacional. O processamento e envio do pedido para a casa do cliente fica todo por conta do fornecedor.

Dessa forma, o lojista fica livre para investir em campanhas de marketing, no atendimento ao cliente e em qualquer outra estratégia que auxilie no crescimento da marca.

O que acabamos de descrever, no entanto, é apenas um resumo bem rápido de como fazer dropshipping. Na prática, o dropshipping no Brasil tem algumas particularidades – especialmente se você decidir trabalhar com fornecedores brasileiros.

Neste post, vamos conversar sobre como fazer dropshipping nacional: indicar alguns benefícios, pontuar algumas desvantagens e delinear possíveis soluções.

O que é dropshipping nacional?

O dropshipping nacional segue as mesmas linhas gerais que mostramos ali em cima; a única diferença é que, dentro do modelo nacional, o lojista decide trabalhar apenas com fornecedores brasileiros – e vender somente para o Brasil.

Trabalhar com fornecedores nacionais significa, é claro, simplificar o processo: se você mora numa cidade grande ou então em uma região industrial, você talvez até já conheça um fornecedor ou um fabricante de confiança, de modo que firmar uma parceria possivelmente não será algo muito complexo.

Da mesma forma, focar apenas no mercado brasileiro ajuda bastante na criação das estratégias de marketing e do site: você pode criar todo o seu conteúdo em português e gerenciar o atendimento ao cliente sem grandes problemas, já que todos os seus clientes falam a mesma língua que você.

Vale lembrar que o trabalho com os fornecedores para dropshipping é parte integral de como fazer dropshipping: sem eles, você simplesmente não terá os produtos para vender, e muito menos os meios para enviá-los para os seus clientes.

O que é dropshipping no Brasil: uma prática legalizada?

Quem se pergunta como trabalhar com dropshipping nacional geralmente fica meio desconfiado quando procura na internet, já que existem poucas informações sobre o tema.

A verdade é que o dropshipping não é ilegal no Brasil; na verdade, as chances de que você já tenha comprado dentro desse modelo sem nem se dar conta são extremamente altas, pois sites como o Walmart, o Submarino, a Shoptime e as Lojas Americanas já usam o modelo há bastante tempo. Se você está pensando em trabalhar com o dropshipping no Brasil ou com fornecedores nacionais para dropshipping, então, pode ficar sossegado.

No entanto, uma das suas obrigações primeiras enquanto empreendedor é conhecer as regulamentações locais e regionais, saber quais são os requisitos necessários para abrir uma loja e começar a vender e, claro, estar em dia com as contribuições fiscais. O mesmo vale para qualquer um dos fornecedores nacionais com os quais você decidir trabalhar.

O dropshipping é um modelo de negócios não tradicional, o que faz com que muita gente desconfie dele como só mais um esquema para ganhar dinheiro. Na verdade, a prática é considerada uma “intermediação de negócios” – onde você, lojista, atua como um agente que possibilita a compra, conectando clientes a produtos e serviços.

Como fazer dropshipping nacional?

Agora que já definimos o que é dropshipping, está na hora de conversarmos sobre como fazer dropshipping no Brasil.

A primeira coisa que você precisará fazer será abrir uma loja virtual – algo que, com a Shopify, pode ser feito em menos de 30 minutos. Depois, terá que encontrar o seu nicho e determinar os produtos que deseja vender, e isso pode levar algum tempo. Você também precisará considerar fatores como:

  • a faixa etária para a qual deseja vender;
  • a facilidade (ou a dificuldade) de criar campanhas publicitárias para o produto em questão;
  • a popularidade do produto no Brasil – algo que pode ser verificado no Google Trends, por exemplo;
  • a existência de fornecedores brasileiros que trabalhem com os produtos escolhidos.

Encontrar fornecedores brasileiros pode ser simples, como falamos ali em cima, mas na maioria dos casos é um processo bem mais complicado do que parece.

E, para quem está interessado em saber como fazer dropshipping nacional, é importante destacar: é justamente com os fornecedores que os problemas começam.

5 motivos para não investir no dropshipping nacional

Quem faz dropshipping no Brasil – ou está pensando em fazer dropshipping no Brasil – provavelmente já deve estar ciente dos benefícios desse modelo de negócios

  • a possibilidade de determinar os valores dos produtos e potencializar as margens de lucro da loja;
  • a eliminação de estoques físicos e da necessidade de envio e processamento dos itens, que fica por conta dos fornecedores;
  • os prazos de entrega, que podem ser extremamente favoráveis quando comparados aos prazos internacionais.

No entanto, pouco tem se discutido sobre as desvantagens do dropshipping nacional – e é importante que os empreendedores brasileiros interessados em como trabalhar com dropshipping estejam a par das possíveis dificuldades que podem encontrar.

Abaixo, listamos os cinco principais motivos pelos quais o dropshipping nacional pode não ser uma boa ideia.

  1. Número limitado de fornecedores de dropshipping no Brasil

É verdade que o dropshipping já é uma prática bem comum entre os gigantes do varejo brasileiro; no entanto, ainda é um modelo de negócios visto com certa desconfiança no Brasil – especialmente por fabricantes e possíveis fornecedores nacionais.

Na prática, isso resulta em um número bem baixo de fornecedores de dropshipping nacional dispostos a trabalhar com lojas de pequeno e médio porte.

A isso, soma-se o fato de que muitos desses fornecedores nacionais não gostam da ideia de terem que se responsabilizar pelo envio dos produtos e personalizar a embalagem o logotipo do lojista.

  1. Alta probabilidade de encontrar fornecedores brasileiros suspeitos

O baixo número de fornecedores de dropshipping nacional nos leva a um segundo problema: o fato de que é bem difícil encontrar fornecedores confiáveis para dropshipping no Brasil.

Como o dropshipping nacional ainda está restrito quase que exclusivamente às grandes marcas do varejo, é difícil encontrar parceiros comerciais que queiram embarcar no dropshipping para pequenas e médias empresas – e isso faz com que a probabilidade de encontrar fornecedores de dropshipping de reputação suspeita seja extremamente alta.

Se você está decidido a trabalhar exclusivamente com um fornecedor de dropshipping no Brasil, lembre-se de conferir a reputação da fábrica e de verificar se ela está devidamente regulamentada no mercado brasileiro.

Você também pode contratar a ajuda de um advogado e firmar um contrato formal entre os envolvidos; dessa forma, você evita surpresas desagradáveis e prejuízos inesperados.

  1. Forte concorrência no mercado

Os empreendedores que se perguntam como fazer dropshipping no Brasil precisam enfrentar uma terceira dificuldade: a concorrência direta e desleal com o varejo mais tradicional, que atualmente faz uso não só do modelo tradicional vendas, mas também do dropshipping.

Isso é especialmente comum em lojas como o Ponto Frio ou as Lojas Americanas, que usam o modelo de varejo para venderem seus produtos nas lojas físicas, e usam a internet para venderem com o dropshipping – o que gera uma prática de preços altamente competitivos.

Para conseguir realizar as suas vendas, portanto, você precisará investir pesado em campanhas de publicidade nas redes sociais, em estratégias de segmentação ou até mesmo em parcerias com influenciadores digitais; tudo isso para mostrar que a sua pequena marca é tão confiável e até melhor do que essas gigantes que já estão no mercado brasileiro há décadas.

Também não podemos esquecer o fato de que você precisará lidar com a concorrência direta de outras marcas e lojas que trabalham no mesmo nicho que o seu e ainda por cima oferecem algum diferencial, como frete gratuito ou devoluções descomplicadas.

No final do dia, então, o que acontece é que você, os outros lojistas de pequeno porte e os gigantes do varejo estão tentando conquistar o mesmo público-alvo: clientes brasileiros.

  1. Pouca diversidade de produtos

O número limitado de fornecedores para dropshipping no Brasil gera um outro problema gravíssimo: a pouca diversidade de produtos.

Se a sua ideia é vender produtos exclusivos e altamente cobiçados, como aqueles que aparecem na aba Comprar do Instagram e que estão sendo usados por todas as celebridades internacionais, pode ser melhor repensar o seu projeto comercial.

A grande maioria dos fornecedores para dropshipping nacional costuma trabalhar com produtos mais tradicionais, sem grandes inovações em termos de design. Você provavelmente encontrará muitas camisetas e calças de cor inteira, bijuterias como essas que vemos em qualquer loja, itens de decoração que já não são mais tendência e por aí vai.

  1. Possibilidade de encontrar produtos de baixa qualidade

Não há nada de errado em trabalhar com produtos mais tradicionais ou criar uma loja cuja proposta não é a de seguir as tendências do mercado; o problema é que as chances de que os produtos fabricados pelos fornecedores de dropshipping nacional sejam de baixa qualidade também é bem alta.

Vai ver é uma costura meio torta; um tecido sintético que rasga com facilidade; um material que mancha a pele (como acontece com algumas bijuterias); modelagens estranhas; ou mesmo um produto que não se parece nem um pouco com aquilo que estava na imagem.

Pode até ser que a baixa qualidade de alguns itens passe despercebida; contudo, certamente não é algo que você gostaria de associar à marca.

Para evitar surpresas como essa – e evitar clientes insatisfeitos lá na frente –, você pode encomendar algumas amostras de produtos dos seus fornecedores para dropshipping e avaliar os itens com cuidado antes de começar a vendê-los na sua loja.

Pois é, o dropshipping nacional pode ser uma prática desvantajosa, mas existe uma outra possibilidade de ganhar dinheiro: o dropshipping internacional.

Como trabalhar com dropshipping e ganhar dinheiro: Oberlo

Agora que já conversamos sobre como fazer dropshipping nacional e destacamos as cinco principais desvantagens da prática, que tal falarmos sobre uma possível solução?

Você pode fazer o dropshipping internacional, com o Oberlo.

O Oberlo é uma das maiores plataformas de dropshipping do mundo: o nosso app, que possui integração total com a Shopify, conecta você a centenas de fornecedores de dropshipping do mundo inteiro. Também contamos com uma altíssima variedade de produtos – e a melhor parte é que você pode importar os itens para a sua loja com apenas alguns cliques.

Vale lembrar que, com o dropshipping internacional, as lojas que fazem dropshipping no Brasil ganham duas novas oportunidades: por um lado, podem trabalhar com fornecedores internacionais para venderem produtos exclusivos no mercado brasileiro – o que significa, portanto, que continuarão a fazer dropshipping no Brasil; por outro, podem vender para outros países e outros públicos-alvo, num movimento de expansão internacional.

Diferente do que acontece com o dropshipping nacional, no qual os lojistas precisam encontrar fornecedores de dropshipping no Brasil por conta própria, o Oberlo compartilha avaliações de outros empreendedores e lojistas sobre os fornecedores que trabalham com a plataforma, o que pode auxiliar (e muito) na escolha de novos fornecedores.

A nossa plataforma também possui uma série de recursos adicionais para quem quer saber como fazer dropshipping:

  • compartilhamos dados exclusivos sobre a popularidade dos nossos produtos para que você possa tomar uma decisão informada;
  • publicamos semanalmente novos conteúdos voltados para empreendedores no nosso blog. Conversamos sobre absolutamente tudo: como fazer um site de dropshipping, como anunciar no YouTube, como a psicologia das cores pode influenciar as vendas de uma marca e muito, muito mais;
  • trabalhamos com o ePacket, um método de envio de produtos que elimina aquela velha história de ter que esperar 60 dias por um produto vindo da China ou de outro país;
  • temos três planos de assinatura – e um deles é totalmente gratuito. Isso significa que você pode começar a usar o Oberlo hoje mesmo!

Conclusão: como trabalhar com dropshipping

É verdade que o dropshipping nacional parece, à primeira vista, uma boa opção: você tem a possibilidade de conversar pessoalmente com os seus fornecedores de dropshipping no Brasil para evitar qualquer problema de entrega ou processamento; além disso, também pode trabalhar com prazos de entrega mais curtos e competitivos.

No entanto, a pouca diversidade (e a baixa qualidade) dos produtos fabricados por fornecedores nacionais pode resultar em clientes insatisfeitos – para não falar da forte concorrência que você precisará enfrentar dentro do Brasil.

Uma opção, portanto, é descobrir como fazer dropshipping internacional com o Oberlo, que possui centenas de fornecedores de dropshipping e um número ainda maior de produtos. No dropshipping internacional, você pode até perder um pouquinho no prazo de entrega – mas ganha com a alta variedade de produtos e com a possibilidade de estabelecer margens de lucro bem maiores.

E você? Agora que já sabe o que é dropshipping, está disposto a tentar? Ou já trabalha com fornecedores para dropshipping? Conte a sua história aqui nos comentários!


Quer saber mais?


 

Vem para o Oberlo

Venha para o Oberlo e ganhe uma conta no plano Starter.

Assine agora mesmo

Nós usamos cookies para melhorar o desempenho do site e criar uma experiência de navegação totalmente exclusiva. Se você aceitar navegar pelo nosso site, estará aceitando também a nossa política de privacidade.